Newsletter

Receba os melhores posts do blog A comunicação como Ferramenta e também dicas de como utilizar a comunicação no seu dia a dia. Conteúdo completamente gratuito, por e-mail.
Email address

10 maneiras de se comunicar melhor!

diálogo 2Eu sempre digo para as pessoas: comunicar é um esforço! Guarde essa informação!
Você passa o dia conversando com os amigos, colegas de trabalho, não desgruda das Redes Sociais, mas quanto tempo você passa realmente se comunicando? Muitas pessoas me perguntam sobre isso, afinal, comunicação é o meu negócio. Mas, depois de pensar muito e analisar várias situações, resolvi escrever o seguinte: “comunicar é a intenção que você coloca quando vai falar com alguém”.  Portanto, não é apenas o “falar bem”. Para conversar com alguém você precisa se dedicar!
Lembro da minha avó contando que quando as vizinhas de sítio da minha bisa iam visitá-la, nem era preciso abrir a porteira. A conversa acontecia ali mesmo, na cerca. Uma amiga levava o ovo, a outra um pão e entre a troca de “mercadorias” no cercado, havia muito conversa. E, ao final dela, cada uma seguia o seu rumo. O que será que mudou no prosear?
É claro que de lá para cá as pessoas passaram a ter uma rotina muito atarefada e viver parece-se mais com “sobreviver”, principalmente para aqueles que moram nas grandes cidades. Então, porque você está atarefado não pode conversar com as pessoas?
E é aí que entra o tal do esforço! Eu acredito que a comunicação só acontece, efetivamente, quando sabemos ouvir os outros. Ouvir mesmo, sem interferências! Você tira suas opiniões da reta e apenas escuta o que o outro está falando.
Quando você escuta as pessoas, e não apenas fala sem ouvir, cria mais chances de entender o que o outro está dizendo. Não estou falando que a sua opinião não é importante. Ela é sim! Mas, não podemos achar que apenas a nossa opinião é relevante! Com base naquilo que ouviu do outro, você tem mais chances de ter um argumento mais bem estruturado para dar uma resposta, até mesmo para dizer um “não”. Você não precisa concordar, mas é melhor ouvir antes de falar. E, nesse exercício, você se fortalece porque também vai poder dizer o que tem a falar (afinal, você também deu a chance ao outro de falar, agora é sua vez), desde que seja de maneira firme e educada, sem ferir ninguém. E mais, sabendo exatamente qual é a demanda do outro.
E será que somos analíticos ao falar? Acredito que se colocamos tudo no botão automático – e aí, não adianta você dizer que é ocupado, porque todo mundo é – o que acontece é que transferimos um canhão de emoções à nossa fala e corremos o risco de despejar sentimentos, às vezes ruins, nas pessoas. E ainda, de tirar conclusões precipitadas, de distorcer falas, de praticar erros e injustiças.
Sempre que você for “vender” uma ideia, pense nisso. Como posso convencer o outro daquilo que eu penso se nem escuto qual é a demanda do meu interlocutor?
Então, experimente se comunicar e veja o que acontece. Tente conversar com as pessoas e dê a elas a chance de falar. E mesmo que isso pareça meio esquisito num primeiro momento, você vai ver que as pessoas tem coisas muito válidas para dizer para você.
E essa é só uma das possibilidades para se comunicar bem. Vou tentar resumir alguns outros itens que podem ser importantes para uma boa comunicação. Tais como:
1) Entenda, acima de tudo, que se você quer se comunicar melhor vai ter que ter um pouco de tolerância com as pessoas.
2) Abuse do bom humor e da leveza. Quem gosta de ouvir palavras pesadas? Quem aguenta o mau humor de alguém? Não à toa as pessoas sorridentes são mais bem aceitas pelos outros.
3) Não encare os desconhecidos como adversários porque eles podem te trazer informações úteis. Mas, você só vai sabê-las se estiver aberto ao diálogo.
4) A cordialidade tem que partir de você. Se a pessoa não foi receptiva em um primeiro momento, abra um sorriso. Pode ser infalível.
5) Abuse da democracia: converse com o porteiro como você conversa com o seus colegas de trabalho ou com a família. Todos tem o direito de receber o mesmo tratamento. As pessoas percebem isso.
6) Simplifique a sua fala: não espere que as pessoas tenham o mesmo conhecimento que você,  até porque a unanimidade não é legal. Que bom que existem pessoas diferentes da gente e que vão falar de uma maneira diferente e que, por isso, vão falar também sobre assuntos diferentes. Você não precisa levar todo mundo para a sua casa e fazer de todo desconhecido um amigo. Mas, que tal, nos locais mais comuns, permitir que o diferente exista?
7) Seja gentil quando acionado. Quem nunca se esqueceu de mandar um e-mail importante?  Se já, peça desculpas, mas responda. Antes tarde do que nunca.
8) Mas, como nem sempre podemos contar com a tecnologia, não caia na teoria da conspiração. Está esperando a resposta do cliente, mas ele não te responde? É bem pouco provável que o cliente esteja rindo nas suas costas e dizendo ”não vou responder, não vou responder.” Que tal ligar para ter certeza de que o cliente recebeu seu e-mail?
9) É pelo mesmo motivo que digo: não seja xiita. Se algo que você leu, viu, ouviu e não gostou pode não ter a ver com você. É preciso ainda um pouco de análise sobre a maneira como usamos nossas ferramentas de comunicação, principalmente as Redes Sociais. Quem utiliza para “dar indiretas, ferir alguém”, fatalmente será ferido. Sabe por que? Porque sempre tem alguém mais nervosinho que a gente, então, não corra esse risco.
10) Acredite no poder da troca: abra um sorriso, o seu coração e tire alguns minutos do seu dia para conversar com alguém. Estabeleça o diálogo, permita-se ao diferente e perceba quantas coisas legais você pode ganhar com uma única conversa no seu dia.
Pode-se dizer que comunicar é mesmo um esforço! Mas, se praticado diariamente, vira hábito. Te garanto!

Deixe seu comentário